Planear a remodelação da cozinha

Entre as várias remodelações de casa, a da cozinha é, muitas vezes, a que pode fazer com que toda a casa pareça mais acolhedora e divertida. Mas uma remodelação também é um trabalho muito grande e por isso é essencial planeá-la bem.

Quão grande é o seu Orçamento?

Uma das primeiras questões que deve colocar ao planear remodelações diz respeito ao seu limite monetário. Quanto tem para gastar na remodelação da cozinha? Tenha em mente o custo dos empreiteiros, equipamentos, materiais e mão-de-obra. Se optar pela ajuda de decoradores de interiores profissionais será outra despesa a adicionar. Também deve contar com um valor extra no seu orçamento para lidar com as pequenas surpresas que podem aparecer no decorrer dos trabalhos de remodelação. Veja onde pode reduzir os custos. Por exemplo, aquele piso de sequoia pode ser o que deseja, mas o piso laminado parece sequoia e pode ser melhor para o seu orçamento. Faça escolhas inteligentes nas suas remodelações.

shutterstock_24527707

O Que Mais Importa na Remodelação da Cozinha?

Qual é o seu objetivo de remodelação? Quer ter uma bancada maior, armários de cozinha novos ou simplesmente mais luz? Faça uma lista do que gostaria de ter na sua cozinha remodelada para passar essa informação aos empreiteiros. Comece com as coisas que mais deseja e termine com os “excessos” que sabe que não são necessários, mas que gostaria de ter na mesma.

Fale com Empreiteiros Especialistas em Remodelações

Os profissionais de remodelações são óptimos para darem conselhos. Nos showrooms de remodelações de cozinhas pode ter informações gratuitas e com um custo maior pode contratar decoradores de interiores para avaliar o espaço e dar-lhe ideias de remodelação e decoração que provavelmente nem tinha considerado.

Não Tenha Pressa

Uma remodelação de cozinha é um trabalho de amor. Não tenha pressa! Tire tempo para comprar os armários da cozinha, o piso e os equipamentos. Tire tempo para encontrar os empreiteiros certos e não hesite em verificar tudo sobre eles, antes de pagar pelos seus serviços.

Planos meticulosos que devem casar com um pouco de flexibilidade, para conseguir uma remodelação de cozinha perfeita. Pense bem nas ideias de outras remodelações, não tenha pressa em tomar decisões e crie uma cozinha que vai adorar durante muitos anos.

shutterstock_28005767

Dicas para poupar na conta da electricidade sem ter de chamar um electricista

cf789f7de2d062417c3ec5a249a26862

Poupar nas despesas fixas por vezes revela-se uma tarefa bastante inglória. Consumos como os da electricidade são muitas vezes difíceis de aferir dentro de portas a fim de perceber o que faz com que a factura aumente.

Hoje deixamos-lhe dicas essenciais para poupar na sua conta da electricidade ao final do mês, que certamente aumentarão as suas poupanças, tudo sem ter de chamar o electricista.

1. Antes de mais, reveja as condições do seu provedor de serviço de electricidade

Nos pontos abaixo listaremos dicas muitos fáceis e práticas que poderá aplicar, contudo o primeiro passo antes de mudar os seus comportamentos de consumo é aferir as taxas aplicadas pelo seu provedor de serviços por Kw/h, assim como, valores cobrados nos períodos taxados com valores mais baixos (durante a noite) e comparar com a concorrência. O objectivo é poupar o mais possível e o primeiro passo, antes de qualquer mudança de hábitos, é obter o valor mais baixo do mercado.

2. Faça o maior uso possível da luz natural

Sempre que possível use a luz natural, deixe entrar a luz do sol para aquecer e iluminar a sua habitação.

3. Recorra a lâmpadas economizadoras e use a luz artificial de forma inteligente

Substitua todas as lâmpadas incandescentes por lâmpadas economizadoras, se precisar de ajuda com este serviço, recorra aos serviços de electricistas como os que encontra na Internet. Apesar de mais caras do que as convencionais lâmpadas incandescentes, o tempo de vida no caso das lâmpadas economizadoras é substancialmente maior e ainda reduzem o consumo energético drasticamente.  A poupança de electricidade a longo prazo compensa claramente o seu maior custo inicial.

4. Controle o tempo de carga dos seus dispositivos eléctricos 

Quando carregar o seu telemóvel ou outros dispositivos que funcionem com bateria, desligue-os assim que a carga estiver completa, caso contrário, continuarão a consumir electricidade. Não se esqueça de retirar o carregador da tomada também, caso contrario, este ficará também a desperdiçar electricidade mesmo não estando ligado ao equipamento.

5. Diga não ao modo “stand by” nos equipamentos audiovisuais 

O modo standby, habitualmente representado pela luz de presença vermelha que permanece ligada depois de apagada a TV no comando (por exemplo) na verdade continua a consumir electricidade. Opte por desligar totalmente equipamentos em que use este modo, como a TV, leitor de DVDs, aparelhagem, etc.

Caso o equipamento possua apenas a opção de stand-by recorra a uma tomada com interruptor onde ligar o dispositivo para premir o botão de off quando não estiver a usá-lo. Caso a conta da electricidade continue elevada pode ter um problema no equipamento ou no seu sistema eléctrico, nessa altura deve chamar um electricista para resolver o problema.

6. Desligue todos os aparelhos que não está a usar (incluindo impressoras, scanners etc.)

Desligar os aparelhos eléctricos (desconectando-os da tomada) nos momentos em que não os está a utilizar parece senso comum, mas a verdade é que nos esquecemos de o fazer em muitos dos equipamentos que usamos com alguma regularidade, como é o caso de  computadores, impressoras, scanners, fotocopiadoras, máquina de café, microondas, etc.

7.  Use os seus equipamentos de forma inteligente

7.1. Use bem o fogão ou substitua por micro-ondas, panelas de pressão ou a vapor

Pode reduzir o consumo de electricidade recorrendo ao micro-ondas, panelas de pressão ou a vapor (estas últimas permitem uma poupança eléctrica até 70%) em detrimento do forno ou fogão.

Caso queira manter o uso do forno ou fogão, cozinhe com as tampas das panelas colocadas (visto que assim consumirá apenas um quarto da energia), no caso de o forno evite abrir a porta do forno durante a cocção (uma vez que cada abertura leva a uma perca de 25% de calor, implicando que o forno tenha de reaquecer e assim consumir mais energia para voltar à temperatura inicial). Em ambos os casos, desligar sempre o forno ou as bocas do fogão alguns minutos antes do fim da cocção permite que o calor acumulado continue a ccozinhar os alimentos sem consumir electricidade.

7.2. Use o frigorífico e o congelador eficientemente

Um uso regrado do frigorífico pode ajudar a reduzir bastante a sua conta de electricidade, gestos simples como certificar-se que não há alimentos a bloquear o fecho da porta, juntar a totalidade de alimentos perto do frigorífico antes de o abrir para os guardar (reduzindo assim o tempo em que a porta está aberta) e retirar tudo o que necessita de uma só vez em vez de abrir a porta do frigorífico várias vezes, visto que a porta aberta consume mais electricidade do que quando o frigorífico está fechado.

7.3. Máquina de lavar loiça e roupa 

Faça uso dos programas económicos que as máquinas disponibilizam, lave com água fria (ideal para roupas escuras) ou pelo menos reduza a temperatura com que irá lavar a roupa/loiça visto que o maior consumo destas máquinas vem do aquecimento da água. Lavar a  a 40º em detrimento de 60º leva a uma poupança de 40%.

Use as máquinas  de lavar loiça e roupa, assim como a de secar apenas com a sua carga máxima e, idealmente, durante a noite, quando as taxas de electricidade são mais económicas.  No caso particular da máquina de secar recorra a várias secagens seguidas para aproveitar o calor acumulado, ou opte pelo estendal/ ar livre.

7.4. Ar condicionado e gestão da temperatura ambiente

Garanta uma maior eficiência do ar condicionado mudando o seu filtro todos os meses, para obter até 20% de poupança na electricidade ou recorra a ventoinhas de tecto ou de pé na medida em que estas consomem menos electricidade.

Durante o Verão, feche janelas e estores nas horas de maior calor, e volte a abri-los de manhã ou à noite (quando estiver mais fresco) para assim arrefecer a casa.

7.5. Esquentador Eléctrico

Pode reduzir o consumo do seu esquentador eléctrico ao baixar a temperatura da água quente que usa, assim como optando pelo duche em vez do banho de imersão, que leva a um consumo de electricidade 50% inferior.

8. Recorra a fontes de energia alternativa

A massificação da procura de alternativas mais sustentáveis no que respeita ao consumo energético tornou mais acessíveis equipamentos como painéis solares, conversores de biomassa, turbinas de vento, etc. O recurso a esta estratégia apresenta resultados apenas a médio-longo prazo mas é uma alternativa estrategicamente inteligente.

9. Seleccione electrodomésticos classe A

Se possível adquira electrodomésticos o mais eficientes possível em termos energéticos – Classe A, dê especialmente ênfase a esta questão sobretudo no que toca a frigoríficos e arcas congeladoras, estes geralmente consumem uma parte significativa do total energético da habituação. Máquinas de lavar e secar roupa também tem um peso substancial no total da factura eléctrica mensal. Tal como no caso das lâmpadas economizadoras, os eletrodomésticos classe A apesar de mais dispendiosos, compensam claramente a nível da diminuição do consumo energético a longo prazo.

Posto isto, tem em seu poder estratégias eficazes para reduzir os seus consumos de electricidade e assim diminuir os gastos mensais com energia, sem ter de automaticamente chamar um electricista que faça a manutenção ao nível de todos os equipamentos.

Fonte da imagem: Pinterest

Como escolher mobiliário para uma sala pequena

shutterstock_257564734

Fazer um projecto de decoração ou remodelação de casa, começando pela sala de estar com poucos metros quadrados pode ser um desafio e exigir alguma imaginação e quem sabe até a ajuda de decoradores de interiores. O lado positivo? Bom, pode pesar menos no orçamento. Uma coisa é certa, precisará sempre de tempo e paciência para estas remodelações. Faça desta operação uma actividade recreativa.

Vamos por partes e comecemos pelo enquadramento, ou seja, pelas paredes. Se a sua sala é pequena, o mais conveniente será optar por uma cor clara, trará luminosidade e criará a impressão de espaço. Pode escolher um branco cinza ou azulado, para uma ambiência mais tranquila; ou um amarelo muito claro, para uma envolvência mais acolhedora e quente. Não opte por cores escuras, vai diminuir-lhe o compartimento. Se estiver indeciso sobre cores a escolher, consulte decoradores de interiores que o podem ajudar. Agora já sabe, o primeiro passo em todas as remodelações é procurar catálogos de tintas, pedir orçamentos e mãos à obra. Tenha o cuidado de procurar a cor também de acordo com a mobília que vai escolher.

Agora, sim, vamos ao mobiliário. Sendo a sua sala de pequenas dimensões, não podemos pensar numa remodelação de casa de grande envergadura, por isso, o mais conveniente é que as mobílias não sejam muito pesadas ou muito escuras, ainda que possa ter uma peça ou outra com essas características. Os decoradores de interiores confirmarão que é importante não ter muito mobiliário, mais uma vez para não diminuir o seu compartimento. Os donos de casas pequenas devem ter o particular cuidado em não acumular muitos objetos e em manter as coisas organizadas. A ideia é maximizar o espaço e não o contrário. E como é que se maximiza o espaço através dos móveis? Pode, por exemplo, ter uma mesa de apoio com uma prateleira inferior para guardar revistas ou CDs, evitando mais uma estante para isso. A verdade é que não vai conseguir ter muitos móveis na sala. Esqueça aparadores e louceiros. Há outros lugares para arrumar louças e faqueiros. Se precisar de móveis com dimensões específicas, pode sempre pedir orçamentos a marceneiros, que façam um móvel à medida das suas necessidades.

Comece pelo sofá, afinal ele é a peça-chave da sua sala, o primeiro lugar para onde quer ir quando chega a casa. Não o coloque no centro. Lembre-se, a sua sala é pequena. Só depois da agradável sensação de ter as pinturas interiores tratadas e um sofá novo, pense no resto. De acordo com os decoradores de interiores, tudo o que vier será em função desse sofá. Não terá espaço para muito mais. Acrescente uma mesa de jantar pequena com as respectivas cadeiras, uma mesa de apoio, talvez uma ou outra estante. Depois, é investir nos tecidos e nos pormenores para personalizar este lugar. As palavras de ouro são: simples, claro e pequeno.

Não descure a iluminação. É fundamental para obter conforto. Se a sua sala tem imensa luz natural, óptimo. Se não é o caso, lembre-se que já fez parte do caminho ao começar a remodelação de casa por escolher cores claras para as paredes e móveis. Mas falta o resto. Não gaste espaço com candeeiros volumosos e pesados. Opte por aplicações mais simples e pequenas e com materiais leves. Uma das opções passa por incorporar pontos de luz nas suas estantes, algo que também pode salientar quando pedir orçamentos a marceneiros para este serviço. A cor também é muito importante, deve ter um tom mais amarelado.

Se mesmo assim, sentir que ainda há mais a fazer para alargar o seu pequeno lugar de repouso, pense num espelho. Os espelhos podem dar a ilusão de espaço, mas é preciso ter algum cuidado e colocá-los em locais onde possam refletir luminosidade para criar profundidade. Colocar um espelho com o objetivo de ampliar uma divisão exige algum cuidado, como indicam diversos decoradores de interiores.

De resto, lembre-se, enfatize as cores claras nas paredes e nos móveis, as linhas mais simples e verticais, mobília à escala do compartimento, móveis multifuncionais, e controle a acumulação de objectos. Aqui, menos é mais. Como vê, escolher mobiliário para algumas remodelações em pequenas salas não tem de ser difícil. Boa sorte!

5 erros comuns de remodelação de casas-de-banho a evitar

shutterstock_102169537

Fazer remodelações ou acrescentar algo à casa é um dos processos mais entusiasmantes e criativos que pode realizar com a ajuda de empreiteiros. Mas, com essa grande responsabilidade, vem a pressão de tomar decisões que vão influir na remodelação de casa, fundamentadas que perdurem décadas. Como se pode certificar que obtém o design de interiores ideal para o seu estilo de vida, se mantém dentro do seu orçamento e aumenta o retorno do seu investimento? Comece com um grande design para todos os espaços da casa – incluindo (ou especialmente) a casa de banho, se achar melhor contrate empresas de design de interiores para o ajudar.

As casas de banho, sejam elas pequenas ou grandes, devem ser sempre bem pensadas, cuidadosamente localizadas e a sua funcionalidade deve ter em conta utilizadores de várias faixas etárias. Já lá vai o tempo em que havia apenas uma casa de banho para três quartos numa casa e todos os seus habitantes tinham de a utilizar. As casas de banho de hoje têm de ser bonitas, ocupar o espaço de modo eficiente e ser funcional para os seus utilizadores. Evitar os erros de design de interiores comuns indicados em baixo vão ajudá-lo a sentir-se mais feliz com as remodelações na sua casa de banho por um longo período de tempo.

1. Sem vista para o exterior

shutterstock_48175339

 

Ninguém gosta de uma casa de banho escura, húmida e com má circulação — não é divertido passar tempo num espaço assim. Se está em remodelações, tente colocá-la num local com uma parede exterior e que tenha janelas. Contudo, se as janelas não forem opção, pode sempre instalar umas claraboias que permitam a circulação de ar e a entrada de luz natural necessários para dar ao espaço um ar mais confortável. A melhor forma é contratar empreiteiros que o ajudem com as obras em casa.

2. Estar bem visível. 

shutterstock_218175391

Existem projectos de remodelação de casa no qual o design de interiores inclui uma casa de banho na sala de jantar – mais parece um conflito de interesses não é? Sempre que possível, evite construir a casa de banho num local que seja visível para quem saia de espaços públicos da casa, tal como a cozinha, a sala de estar ou a sala de jantar. Se precisar de ajuda com a melhor localização da mesma, consulte empresas de design de interiores.

Isto não quer dizer necessariamente que só a pode construir num corredor comprido, mas tente criar uma separação para quebrar a linha de visão. A última coisa que deseja, no final das remodelações, é estar confortavelmente sentado na sua sala de estar com um copo do vinho na mão e a olhar diretamente para a sanita da sua casa de banho.

 

3. Deixar a sanita bem evidenciada.

shutterstock_83695471

Durante uma remodelação de casa, evite fazer da sanita a primeira coisa que vê, seja ao entrar na casa de banho, seja ao estar noutros espaços da casa adjacentes à casa de banho. Coloque a sanita e o poliban num espaço próprio e deixe o lavatório separado. Assim uma pessoa pode estar a tomar banho enquanto a outra pode despachar-se no lavatório. Numa planta de casa de banho deste género a parede que divide os dois espaços só acrescenta alguns centímetros ao tamanho total da casa de banho e duplica a funcionalidade do espaço.

4. Entusiasmo por polibans.

shutterstock_322152017

Uma base de banho concede à casa de banho o aspecto de ser maior e mais limpa – além de que é muito prática para proprietários mais idosos, uma vez que adere facilmente aos princípios de design de interiores universal. Esta aparência é muito fácil de se adquirir numa nova casa de banho ou remodelação de casa – só tem de mencionar com antecedência aos seus empreiteiros de construção civil antes de começar a construção.

5. Pensar que grande é sinónimo de melhor.

shutterstock_22198354

Isso mesmo: maior não é melhor, melhor é que é melhor. Quer esteja em remodelações de uma enorme casa de banho principal na sua casa de sonho ou a tentar descobrir uma forma de arranjar espaço para pôr mais uma casa de banho para melhor servir a sua família que não pára de aumentar, o mais importante é que tenha um bom design de interiores que seja mais adequado ao seu estilo de vida específico.

A verdade é que um bom design de interiores não tem tanto a ver com a aparência da casa de banho (apesar de ser sempre bom quando ela é fantástica) mas sim com a sua funcionalidade. Um bom design de interiores significa ter uma casa que funciona melhor, ter menos custos nas remodelações, é mais eficiente em termos de manutenção e que lhe permita ter mais por menos.